Porto do Capim

PORTO DO CAPIM

O antigo Porto do Varadouro, popularmente conhecido como Porto do Capim, localizado à beira do Rio Sanhauá, a área do Porto do Capim, abrange as comunidades, formada por três núcleos de moradia: Porto do Capim, Vila Nassau e Vila Frei Vital. A população que reside na área do Porto é formada majoritariamente por pescadores, antigos pescadores, marisqueiras, ex-trabalhadores do cais do Porto (carregadores, atracadores, armeiros, entre outros), e as duas vilas são formadas por ex-trabalhadores de empreendimentos que foram fechados há muitos anos, respectivamente uma fábrica de cimento e curtume. Essa comunidade apresenta características tradicionais, uma vez que, do seu surgimento até os tempos atuais, as famílias foram recriando os laços de parentesco e mantendo algumas formas de vida em interação com o rio, ainda que de forma bastante precária.

capim - jpeg CERTIDÃO DE NASCIMENTO
( Fonte: http://portodocapimjp.blogspot.com.br/ Deodato Borges)

Se existe um documento que pode ser considerado como uma verdadeira certidão de nascimento da nossa cidade, este documento, sem dúvida, é aquele que foi denominado como o “Sumário das Armadas”, contendo 50 páginas e que foi apre-sentado, na Corte de Filipe II, pelo jesuíta Cristovam de Gouvea, um Padre Visitador da Companhia de Jesús em toda a Província do Brasil.

O documento é importantíssimo, devido a explanação feita quanto ao surgi-mento das primeiras construções, envolvendo, principalmente, as primeiras igrejas, mas como os desenhos retratando tudo aquilo valem, às vezes, mais do que mil pala-vras, esta imagem que divulgamos abaixo, mostrando o atracadouro (à direita), onde se vê um aclive indo em direção à Ladeira de São Francisco, que foi a primeira rua da povoação e que servia de acesso ao largo formado pela Igreja da Matriz (M), Convento de Santo Antônio (L), Mosteiro de São Bento (G) e Igreja da Misericórdia (N), pode ser considerada, sem dúvida, como a certidão de nascimento da nossa terra.

Observem todos os detalhes nesta gravura de João Teixeira Albernaz I, que ilustra o “Livro que Dá Razão ao Estado do Brasil” (Diogo Moreno, 1612). 

certidão maior jpeg

…E A CIDADE SURGIU

No dia 5 de agosto de 1585, dia dedicado à Nossa Senhora das Neves, João Tavares, a quem Martim Leitão confiára a conquista da terra paraibana, tinha acabado de tomar a decisão que ali seria construído o Forte do Varadouro, a fim de melhor garantir a segurança de todos os integrantes da sua caravana.

Às margens do rio Sanhauá, onde hoje existe o Porto do Capim, exclamou:

- Aqui fundaremos uma cidade.. a Cidade de Nossa Senhora das Neves !

Por conta do local do seu nascedouro, o centro histórico da cidade ficou marcado até hoje por uma grande integração com o meio ambiente, já que o local continha, à época, como acontece ainda em menor escala em nossos dias, muitos atributos naturais, onde se destacava uma vegetação exuberante, alternando-se, ao longo do rio, manguezais e coqueirais com a mata atlântica, formando verdadeiras florestas.

A cidade, portanto, deve o seu desenvolvimento a dois caminhos principais, formados pelo Varadouro e pela Cidade Alta, interligados pela Ladeira de São Francisco, quando foi criado o Porto do Capim, em águas fluviais, a fim de escoar a produção local, especialmente do açúcar, que era exportado.

Como não poderia deixar de acontecer, ao redor do porto se estabeleceu a importante área comercial do Varadouro, onde foram construídos vários armazéns e uma alfândega.