Notícias

05/08/2015

…E A CIDADE SURGIU – Memórias de Deodato Borges

Neste 5 de agosto, eis nossa homenagem aos 430 anos da capital paraibana.

Arte: Deodato Borges
Arte: Deodato Borges

No dia 5 de agosto de 1585, dia dedicado à Nossa Senhora das Neves, João Tavares, a quem Martim Leitão confiára a conquista da terra paraibana, tinha acabado de tomar a decisão que ali seria construído o Forte do Varadouro, a fim de melhor garantir a segurança de todos os integrantes da sua caravana.

Às margens do rio Sanhauá, onde hoje existe o Porto do Capim, exclamou:

- Aqui fundaremos uma cidade.. a Cidade de Nossa Senhora das Neves !

Por conta do local do seu nascedouro, o centro histórico da cidade ficou marcado até hoje por uma grande integração com o meio ambiente, já que o local continha, à época, como acontece ainda em menor escala em nossos dias, muitos atributos naturais, onde se destacava uma vegetação exuberante, alternando-se, ao longo do rio, manguezais e coqueirais com a mata atlântica, formando verdadeiras florestas.

A cidade, portanto, deve o seu desenvolvimento a dois caminhos principais, formados pelo Varadouro e pela Cidade Alta, interligados pela Ladeira de São Francisco, quando foi criado o Porto do Capim, em águas fluviais, a fim de escoar a produção local, especialmente do açúcar, que era exportado.

Como não poderia deixar de acontecer, ao redor do porto se estabeleceu a importante área comercial do Varadouro, onde foram construídos vários armazéns e uma alfândega.

 

OS NOMES DA CIDADE

 

          1585 – Cidade Real de Nossa Senhora das Neves, foi o nome escolhido quando da sua fundação, no dia 5 de agosto, em homenagem ao santo do dia.

1588 – Filipéia de Nossa Senhora das Neves em homenagem ao Rei Filipe II da Espanha, durante o período em que a Coroa Portuguesa foi incorporada à Coroa Espanhola (União Ibérica: 1580-1640).

 

1634 – Friederickstadt (Cidade de Frederico) ou Frederica, em homenagem ao príncipe de Orange, Frederico Henrique de Nassau, durante os 20 anos de ocupação holandesa no nordeste brasileiro.

 

1654 – Cidade da Parahyba, ao iniciar o período de restauração, após a expulsão dos holandeses do nordeste brasileiro.

 

1930 – João Pessoa, numa homenagem ao político João Pessoa de Albuquerque, paraibano de Umbuzeiro, então presidente do Estado da Paraíba, assassinado na cidade do Recife, no vizinho estado de Pernambuco.

 

foto casas e rio - jpeg

VARADOURO

 

           Foi às margens deste rio, que avança para o mar,

           e que deixa, em seu caminho, tantos manguezais,

       abrigando, em cada um, muita vida à se formar,

          que surgiu, num certo dia, um bem pequeno cáis.

            Era o Porto do Capim,  que veio assim  se chamar,

        porque era o capim o que se transportava mais.

        Depois virou Varadouro, prá logo se transformar

     nesta cidade bonita, com seus traços divinais.

      Foi na beleza, portanto, deste Porto do Capim,

        que a cidade foi surgindo e crescendo até o fim,

             pintando de eternidade os seus momentos breves.

      No alto da ladeira, a imagem de um mosteiro…

             o primeiro casario… o povo… a força… o cruzeiro…

            - É a Cidade  Real de Nossa Senhora das Neves.

 

Fonte: arquivo/memória de Deodato Borges